Mega Rodovia: Projeto russo pretende conectar Londres a Nova York


Já imaginou sair de carro de Londres, dar uma volta ao mundo, tendo Nova York como ponto final? Imaginou os dias na estrada, as paradas, as paisagens? Se os planos dos russos derem certo, em breve, isso será possível.

Vladimir Yakunin, CEO da Russian Railways, estatal que administra a malha ferroviária russa, revelou recentemente os planos da empresa de construir a maior rodovia do mundo. Trata-se do Trans-Eurasian Belt Development (TEPR), que, quando pronto, terá uma extensão aproximada de 20 mil quilômetros.

150325102725-trans-siberian-road-map-exlarge-169

Mapa divulgado por Vladimir Yakunin em sua palestra (Foto: Reprodução)

Colocando em prática estes planos, os russos aproveitariam estradas já existentes nos países em que o TEPR irá passar. O projeto também prevê a construção de uma ferrovia, que acompanhará a rodovia, ao lado.

A rodovia partirá de Londres, passando pela França, Bélgica, Holanda, Alemanha, Polônia, Bielorrúsia e entrando na Rússia (até aqui, aproximadamente 2.500 km serão percorridos). O trecho dentro da Rússia terá 9.977 quilômetros, passando por Moscou, até chegar no Estreito de Bering, que é a ligação entre o continente americano e a Rússia (são 88 quilômetros de extensão marítima). Ainda está em decisão se esse trecho será feito por ponte ou túnel, onde a rodovia chegará ao Oeste do Alasca, uma região inóspita e cheia de montanhas. Este trecho terá que ser construído do zero, pois não existem rodovias atendendo essa região (836 quilômetros, aproximadamente, dentro do Alasca).

Saindo do Alasca, a rodovia entrará no estado canadense de Yukon e passará pela Colúmbia Britânica (montanhosa), Alberta e Saskatchewan, entrando nos Estados Unidos pela Dakota do Norte. Seguirá por Minnesota, Wisconsin, Illinois (passando por Chicago), Indiana, Ohio, Pensilvania e Nova York, tendo este último trecho mais de 6.000 quilômetros.

Será uma rodovia onde um motorista poderá percorrê-la de ponta a ponta, o que levará mais de uma semana, além de um enorme consumo de combustível (um voo entre Nova York e Londres, sobre o Oceano Atlântico, leva 9 horas, com um valor de passagem bem menor que o de gasolina ou diesel consumido para percorrer 20 mil quilômetros de rodovia). Isso deixaria o projeto inviável? Do ponto de vista russo, não. De acordo com Vladimir Fortov, chefe da Academia de Ciências da Rússia, a principal vantagem da super rodovia não seria, obviamente, a economia de tempo ou dinheiro de uma viagem transoceânica, mas a oportunidade de desenvolver setores industriais e pequenas cidades nos entornos das pistas. Para ele, o empreendimento poderá mudar a realidade de muitos países da Ásia e da Europa.

Atualmente, a maior rodovia do mundo está na Austrália. É a Highway 1, que circunda todo o país, com 14485 quilômetros de extensão.

Clique aqui para ver uma reportagem americana, em vídeo, sobre o projeto russo.

 

Fontes: Revista GalileuLeia Notícias e Quatro Rodas

Anúncios

O que achou desse post? Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s