Issus Coleoptratus: o que um percevejo e uma engrenagem tem em comum?


Engrenagens são rodas dentadas que possuem a função de transmitir força e movimento, em sistemas mecânicos. São encontradas em relógios, carros e máquinas em geral.

7315165-set-of-gears-interconnected-forming-a-machine-concept

Imagem: B&H Gears

Acredita-se que os primeiros sistemas de transmissão de movimento através de engrenagem tenha surgido em meados de 3000 a.C, na região da atual China.

São peças bem detalhadas em suas medidas, passando uma certa complexidade visual. E até bem pouco tempo atrás achava-se que a engrenagem era um invento exclusivo do Homem. Em 2013, cientistas descobriram que, antes mesmo dos chineses, a engrenagem foi criada pela natureza.

Na edição de 13 de setembro de 2013, a revista Science publicou um artigo revelando tal descoberta. Uma espécie de percevejo, o Issus Coleoptratus, quando ainda está na fase de ninfa (numa etapa onde sua metamorfose ainda não está completa), possui um par de engrenagens em suas patas traseiras. Graças a esse “mecanismo”, o inseto tem eficiência em seu movimento de salto, que é mais veloz que a percepção visual do ser humano: alcança a velocidade de 14 km/h em dois milésimos de segundo. Essas engrenagens sincronizam as duas patas, evitando que uma se movimente mais rápido que a outra, o que causaria um movimento giratório muito brusco e, consequentemente, a morte do pequeno percevejo.

Malcolm Burrows, professor da Universidade de Cambridge, um dos cientistas que fizeram a descoberta, disse que o sistema é encontrado somente na fase de ninfa. Os adultos conseguem obter o movimento apenas com a fricção entre suas patas, porque seus corpos tornam-se maiores e mais rígidos. “Os adultos podem abandonar suas engrenagens em parte porque os seus dentes podem quebrar, colocando em risco a sobrevivência do inseto”, disse Burrows.

Issus_coleoptratus_3

Ninfa. Foto de Julian Oliver, março de 2008

Issus_coleoptratus_2

Adulto. Foto de Laurence Counter, novembro de 2008

p2_5

A distância entre as patas dessa ninfa é de apenas 1 mm. Imagem: Jornal da Unicamp

A: ninfa de Issus Coleoptratus.
B: microscopia eletrônica de varredura mostrando a ação da engrenagem dos dentes
   do trocânter (Cada uma das duas tuberosidades na parte superior do fêmur).
C: dentes do trocânter mostrados com o fêmur e coxa das pernas traseiras. A ação
   de engrenagem de dentes assegura que cada uma das pernas estenda-se exatamente
   ao mesmo tempo.

Outras fontes: Revista Galileujw.org e British Bugs

Anúncios

4 comentários sobre “Issus Coleoptratus: o que um percevejo e uma engrenagem tem em comum?

O que achou desse post? Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s